A sua empresa utiliza newsletters para chegar aos (potenciais) clientes?

  • Sim
  • Não
  • Mais ou menos

Em qualquer um dos casos, saiba que pode (e deve) fazer mais e melhor. Hoje em dia, as famosas plataformas multicanal, como o e-goi ou o mailchimp facilitam (em muito) o trabalho desenvolvido em torno desta temática. Ao seguir as sugestões dadas pelas mesmas, será “obrigado” a cumprir uma série de boas práticas, algumas delas de carácter legal: identificar corretamente o remetente da newsletter, indicar sempre o link para que o receptor possa cancelar o recebimento, etc.

Em todo o caso, deix0 6 cuidados básicos a ter, aquando do lançamento da sua newsletter:

1. Prepare a landing page

Costumo dizer que uma boa newsletter que não leve a um sítio interessante (falo dos links da mesma) é como uma boa montra numa loja, que ela própria não seja assim não tão boa. Em ambos os casos, estamos a atrair clientes para depois não lhes darmos nada em troca… Portanto, se uma newsletter é acerca de determinado produto, certifique-se de que quem lhe der o privilégio de clicar, vá ter ao sítio certo.

2. Tenha cuidado com a escolha do assunto

Todos sabemos como somos “inundados” de e-mails promocionais. Portanto, como nos diferenciarmos no meio do “barulho”, em prol de uma maior taxa de abertura? Sermos agressivos comercialmente e prometermos “este mundo e o outro”? Errado! É certo que temos que ter algum apelo à ação no assunto da peça, mas não o podemos confundir com um “reclame”. Há que evitar palavras e expressões completamente gastas, tais como “grátis”, “abra já”, etc.

3. Segmente os seus envios

Este é o principal motivo pelo qual deve ter uma base de dados (mailing list) o mais completa possível. As possibilidades são muitas: possui o intervalo de idades dos destinatários? Pode enviar mensagens com “tu” e “você”; clientes empresariais ou pessoais? Pode diferenciar a comunicação B2C e B2B, etc., etc.

4. Use um e-mail com o seu domínio

Qualquer plataforma de gestão de newsletters o desencoraja a não usar e-mails “banais”, nomeadamente um conta de Gmail. É verdade que (ainda) nem todos os micro negócios dispõem do seu próprio site. Caso o tenha, não hesite em usar o seu próprio domínio, tipo geral@exemplo.pt. É meio caminho andado para que as suas newsletters não sejam catalogadas como SPAM.

5. Estabeleça e vigie os seus objetivos

Se não decidimos para onde vamos, nunca saberemos se chegámos ao nosso objetivo. Uma das grandes vantagens do uso das plataformas é precisamente as denominadas insights, isto é, as estatísticas que nos indicam quantas pessoas abriram a newsletter, quantas clicaram, etc. Farto-me de dizer que, no marketing digital, não há “corta-matos” e muito menos fórmulas mágicas. Portanto, não há outro remédio que não experimentar, medir, alterar, voltar a medir, voltar a alterar, …

6. Cumpra a lei e a ética

Por muito tentador que seja (acredite, eu sei), não ceda ao uso de bases de dados que não sejam suas, não deixe de cumprir os requisitos de opt-in/opt-out, e por aí fora… Lembre-se que apenas pode enviar newsletters a quem lhe deu autorização para tal. Claro que há várias formas de o fazer, umas mais astutas que as outras…

One thought on “6 passos essenciais na sua estratégia de e-mail marketing

  1. Donec vitae aliquet tellus. Nulla at posuere velit, nec placerat lectus. In ipsum erat, pellentesque id metus sit amet, molestie pharetra justo. Duis interdum convallis nisi sit amet sodales. Ut non aliquam ligula. Cras fringilla dapibus sodales. Nam varius, turpis eu elementum viverra, urna mauris venenatis elit, id fringilla lectus velit vel elit.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *